Vai começar o espetáculo

Matheus- Torcedor da Seleção Brasileira

Por Cintia Refundini

Começa a ansiedade, a vontade de vencer e tudo ao redor para. O tempo é inimigo e o relógio corre devagar. A 18ª edição da Copa do Mundo que será realizada pela primeira vez no continente africano, mais precisamente na África do Sul vem com ingredientes recheados de surpresas.

Algumas dessas surpresas seriam os craques de todo mundo, onde as seleções se preparam e prometem render muito no mundial. Infelizmente alguns craques ficaram de fora, como o alemão Ballack. Tudo foi planejado, antecipado e realizado nos mínimos detalhes. A África espera e deseja ser vista como um exemplo no mundo do futebol, e não apenas como um continente voltado para a miséria.

Essa copa mais do que nunca promete. O sorteio dos grupos mostra isso. É difícil, complicado e ao mesmo tempo inimaginável tentar explicar qual seleção terá maior dificuldade na primeira fase. Existe o favorito? A seleção brasileira enfrenta, um País que não vai há 44 anos para uma Copa, a Correia do Norte, a Costa do Marfim e a sempre perigosa Portugal.

Jornalistas do mundo todo defendem o seu lado, tanto de forma positiva, como de forma negativa. O nosso País, com propagandas, figurinhas para a Copa e o incentivo aos craques tentam de todas as formas empurrar ao hexa. É a vontade de vencer explicita no rosto de cada brasileiro, a ganância e a solidariedade misturadas ao mesmo tempo.

A seleção nessa quarta-feira, dia 26, embarcou rumo a África almejando mais um título. Os treinamentos já começaram e o técnico Dunga já vai elaborando qual será o time principal. É estranho dizer isso, mas às vezes é melhor ir desacreditado e numa sorte inesperada poder colher bons frutos. Ninguém no Brasil quer saber de favoritismo.

Com gols, craques, uma equipe preparada e um apetite avassalador de futebol a seleção se prepara. Um mês é o necessário para que todos treinem e possam fazer bonito na África do Sul. Pelo menos é o que todos aqui esperam.