Chris Brow: show dançante e curto demais decepciona fãs

Por Jaqueline Esmendia

A noite de quinta-feira (20) estava fria assim como as noites do início da semana, mas nada que tirasse a animação e a ansiedade de centenas de fãs que aguardavam a entrada de Chris Brow no palco do Credicard Hall em São Paulo.

Qualquer vestígio, uma mão, o testar dos efeitos especiais, tudo era motivos de gritos eufóricos para que o ídolo mostrasse a que veio. E às 22h lá estava ele, enlouquecendo os fãs que não conseguiram ficar sentados em sua entrada triunfal ao palco.

Os fãs estavam maravilhados demais para perceber pequenos detalhes, mas alguns deslizes da apresentação de Chris Brow foram altamente percebidos, como por exemplo, que era evidente que o cantor não conseguia dançar e cantar ao mesmo tempo. Na maioria das músicas de seu repertório, que são muito agitadas, uma frase completa mal era pronunciada, ele pedia a ajuda dos fãs para cantá-las, mas não precisava ser um especialista em canto para perceber que ele não aguentava cantar.

O show durou exatamente uma hora, os maiores sucessos foram cantados por pessoas que queriam estar lá junto dele ao palco. Com quatro bailarinos apenas, Chris Brow deu um show em Hip-Hop, seus movimentos precisos, sua ginga, sua expressão fizeram mulheres e homens de todas as idades irem à loucura com cada música.

Chris Brow é realmente um fenômeno, mas a criação de seu show deixou a desejar. Tive a sensação de que faltava “o que fazer ao palco”, dançava-se demais e cantava-se de menos. E não porque o artista em questão não cante bem, pelo contrário, em canções mais românticas o cantor sabe como emocionar uma platéia, mas o show de Chris Brow parece mais um espetáculo de dança do que de música em si. O que se percebe que seria muito mais proveitoso se as duas coisas fossem bem dirigidas.

Apesar da incredulidade dos fãs quando o show acabou em minha lembrança ficará o momento mais emocionante do show. Quando humildemente sem querer parecer um símbolo sexual, Chris pronuncia os primeiros versos de seu último sucesso Crawl, escutava-se 6 mil pessoas cantando junto ao rapper, um momento bonito, uma ótima lembrança aos fãs e ao cantor julgado com “econômico” pela maioria, devido a sua ausência por duas vezes no palco.

Assim como alguns sites já escreveram, a casa estava cheia, mas não lotada. O que realmente parecia ter incomodado os fãs foi o preço alto pelos ingressos enquanto o DJ era quem “mais apareceu” durante a apresentação e playbacks evidentes para pouco tempo de show.

Esperava-se mais de Chris Brow e o cantor infelizmente não correspondeu as expectativas.

Anúncios

Você conhece a moda Hip-Hop?

Por Jaqueline Esmendia

O Hip- Hop é considerada uma das culturas que mais influenciam os jovens.

O estilo, a ideologia e a forma com que os jovens passam a fazer músicas modificaram toda uma geração de pessoas que se sentiam esquecidas pelo governo.

 Esses jovens que calçam Tênis Puma, Nike, Adidas, entre outras marcas famosas, criaram seu estilo para se diferenciarem dentro das possibilidades que tinham, além de procurarem roupas baratas que estivessem dentro do seu orçamento. 

 As marcas citadas acima eram usadas somente para fins esportivos antes dos anos 70, mas passaram a ser usadas para dançar o Hip-Hop por serem confortáveis e por terem um preço mais acessível na época. Desde que a Puma patrocinou a película Beat Street em 1984, os agasalhos ficaram ainda mais em evidência.

 Camisetas com desenhos de Graffiti, Fat laces que no início da cultura Hip-Hop eram feitos de elásticos de cueca, boinas Kangol e Hopes são alguns dos acessórios mais usados por quem gosta de Hip-Hop, sem falar nas jóias que são espalhadas por todo o corpo, com destaque para o dente de ouro, muito usado   entre os rappers como Nelly e Snoop Dog.  

Fat Laces

Entretanto, todo esse estilo custa muito caro para os adeptos dessa tribo, que por muitas vezes, acabam aderindo por acessórios falsos ou mais baratos. Um par de tênis do mesmo modelo usado pelos B.boys chega a custar R$ 180 e para se sentir totalmente dentro do estilo os consumidores chegam a gastar cerca de R$ 1 mil. Porém, esses altos custos da moda rapper não desanima os seus adeptos, afinal, vale tudo para estar confortável e se sentir poderoso dentro do seu estilo. 

 Hoje, podemos definir o estilo Hip-Hop como o estilo Moda e Poder, onde os as pessoas adeptas ao visual se sentem poderosas e completamente dentro da moda da sua tribo.