Conhecendo um pouco mais das Torcidas Organizadas

Vagner Araújo - Torcedor do Palmeiras

  Por Aline Martins  

Quem não conhece ao menos uma pessoa que idolatra o seu time? Mas será que idolatrar tanto um time assim é  normal?  

O Blog Conexão Tribo conversou com um torcedor fanático pelo Palmeiras e integrante da torcida  Mancha  verde, para entender um pouco a filosofia desses torcedores que até dariam a própria vida pelo time que torcem.

Uma das torcidas mais conhecidas do Brasil, a Macha Verde já foi apontada pela imprensa como a torcida que mais “causa problemas” nos estádios brasileiros. No último dia 03 de março, a torcida foi proibida de frequentar uniformizada qualquer estádio paulista. Isso aconteceu após o clássico entre Palmeiras e São Paulo no dia 21 de fevereiro. Segundo a Federação Paulista de Futebol, a decisão foi tomada por motivos de comportamento nocivo e vandalismo por parte da torcida palmeirense. Em 1995, no clássico entre Corinthians e Palmeiras, ocorreu uma das maiores brigas em estádios do mundo. A Mancha Verde foi acusada de ser a principal causadora da briga, a qual acarretou a morte de 3 jovens.  

Em um papo descontraído com Vagner Araújo, 21 anos, morador da região da Brasilândia e componente da Mancha Verde, nos contou um pouco sobre o parâmetro atual das torcidas organizadas de São Paulo. Segundo o palmeirense, o lado positivo das torcidas é ter a felicidade de ver seu time ser campeão e a oportunidade de conhecer o Brasil junto com as caravanas organizadas pela Mancha Verde. Já o negativo é o risco de envolver-se em brigas por amor ao time.  Vagner nos disse que se envolveu em uma briga no clássico entre Palmeiras e São Paulo em 14 de junho de 2007, próximo ao estádio Palestra Itália e foi fortemente agredido pela torcida rival. “Fiquei 14 dias internado e perdi um dente”, risos. Ao ser questionado sobre o que acha que deve ser feito para diminuir as brigas nos estádios, Vagner foi objetivo e claro: “A solução é sair da quadra e ir direto para o estádio sem passar em lugar nenhum, pois assim evita que as torcidas rivais de se encontrem”, afirma. Araújo garante que frequentará o estádio pelo resto de sua vida. “Palmeiras pra mim é religião”, finaliza. 

 http://www.futebolpaulista.com.br/federacao.php?sec=18&sub=&cod=35296

Anúncios